menu
Partilhar

Urso-panda

Atualizado: 4 maio 2021
Urso-panda

De nome científico Ailuropoda melanoleuca, o urso-panda ou panda-gigante é um dos animais mais famosos do mundo todo. Bichos de pelúcia, desenhos, camisetas, fantasias... é claro que sua presença é notável em quase todos os campos. Mas, você sabia que sua origem pode ter ocorrido na Espanha e não na China? No PeritoAnimal, vamos conhecer todos os detalhes sobre esta espécie fascinante e milenar que desperta tanta simpatia com sua aparência adorável, bem como os perigos que a cercam e como poderíamos combatê-los. Continue lendo e descubra tudo sobre o urso-panda, informações para crianças e adultos, que nos permitem saber mais sobre este precioso animal.

Origem
  • Ásia
  • Europa

Origem do urso-panda

Embora esta espécie sempre tenha sido considerada originária da Ásia, novos estudos evolutivos desafiaram essa crença tão bem estabelecida. Mais especificamente, eles situam a origem de uma espécie primitiva dos pandas atuais, ou seja, um ancestral em termos genéticos, na Península Ibérica. Essa nova teoria surgiu a partir de vestígios fósseis encontrados em Barcelona e Zaragoza, mais antigos que os encontrados na China, uma vez que os vestígios encontrados na Espanha têm entre 11 e 12 milhões de anos, enquanto os encontrados na China têm 7 ou no máximo 8 milhões de anos. De acordo com a teoria, a origem da subespécie de pandas teria ocorrido na península, a partir de onde teria se espalhado pela Eurásia, embora atualmente seja encontrada somente na China e em algumas partes do sudeste asiático.

Embora o urso-panda tenha sido considerado uma espécie em risco de extinção durante anos, em 2014 foram registrados muito mais espécimes do que na década anterior - mais especificamente, 1.864 pandas na natureza. Portanto, desde 4 de setembro de 2016, as autoridades internacionais responsáveis por esta categorização, especificamente a União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN), alteraram a categoria dos pandas. Eles passaram a ser considerados uma espécie vulnerável em vez de ameaçada, pois se considera que já não correm tanto risco de extinção a menos que ocorra alguma catástrofe imprevisível, uma vez que o número de indivíduos ultrapassou 2.000.

Características do urso-panda

O tamanho do urso-panda é variável. Os espécimes de panda-gigante podem pesar mais de 150 quilos, sendo os machos maiores do que as fêmeas. A altura pode chegar a quase dois metros, embora geralmente tenham entre 1,4 e 1,8 metro de comprimento. A altura na cernelha é de cerca de 90-100 centímetros. Desta forma, ao descrever o urso-panda, podemos dizer que são ursos bastante corpulentos, com uma aparência robusta e arredondada. Uma característica especial é que possuem um "sexto dedo" nos membros anteriores, mais longo que os posteriores e que se assemelha ao polegar humano, permitindo-lhe agarrar e segurar objetos, além de trepar em árvores. Não se trata realmente de um dedo articulado, mas sim de uma extensão do osso do pulso.

Continuando com as características físicas do urso-panda, sua cabeça é achatada, com um focinho bastante reduzido terminando em um nariz desenvolvido, o que lhe garante um excelente sentido de olfato. Os olhos são pequenos e as pupilas são alongadas e não redondas, semelhantes às de um gato doméstico. As orelhas são redondas, grandes e eretas. A cauda é redonda, em forma de pompom, geralmente medindo cerca de 10-12 centímetros de circunferência.

A pelagem do urso-panda é, sem dúvidas, a marca registrada da espécie, com uma mistura entre o preto e o branco, mas distribuída de forma particular. A distribuição seria a seguinte: preto no nariz, nas orelhas, ombros e extremidades, bem como as duas manchas dos olhos; branco no peito, barriga, rosto e costas. Não é realmente um branco nuclear, e sim uma tonalidade ligeiramente amarelada.

Onde vive o urso-panda?

Se você quer saber qual é o habitat do urso-panda, podemos dizer que na natureza ele vive exclusivamente em regiões isoladas das montanhas da China e alguns lugares do Sudeste Asiático. Eles vivem em bosques de bambu, onde o clima é caracterizado por alta umidade e temperaturas bastante baixas, o que é normal porque vivem em áreas onde a altitude é superior a 1.500 metros. No entanto, no inverno, quando as temperaturas são extremas e as nevascas abundantes, eles podem descer para áreas que ficam em torno de 1.000 metros de altura.

Os ursos-panda não gostam da companhia de seres humanos, por isso optam por áreas onde a agricultura ou pecuária não é praticada, preferindo florestas de coníferas e pinheiros onde há grande quantidade de bambu. Nesses locais, a folhagem é densa e espessa, e assim eles evitam ser incomodados pelo homem. Ao detectar uma pessoa, esses ursos fogem e se escondem rapidamente.

Uma das grandes ameaças que pairam sobre essa espécie é que as florestas subtropicais onde viviam, que se estendiam por extensos vales em toda a China, foram substituídas por plantações de arroz, trigo e outros cereais. Essas florestas ficavam abaixo dos 1.500 metros de altura que mencionamos, e o bambu era abundante, mas como despareceram, os ursos-panda foram forçados a recuar para as montanhas altas onde ainda existem pequenas áreas de floresta, normalmente localizadas entre 1.500-2.000 metros de altura, embora o mais comum seja que eles tenham que subir a mais de 2.000 metros para encontrar regiões onde há bambu suficiente para garantir sua sobrevivência. Desta forma, o habitat do urso-panda está ameaçado e esse é um dos principais motivos para fazer parte da lista de animais em perigo de extinção.

Alimentação do urso-panda

Os ursos-panda são animais onívoros, embora exista uma crença bastante difundida de que são totalmente herbívoros, pois se alimentam de vegetais como raízes, bulbos ou flores, além do bambu, que é o alimento que mais consomem. Contudo, a verdade é que, se nos atermos à sua anatomia, o urso-panda tem o sistema digestivo de um animal carnívoro. Além disso, sua dieta costuma conter alimentos de origem animal como ovos ou pequenos mamíferos e roedores.

O fato de ter um estômago de carnívoro deixa claro que o urso-panda precisou mudar sua dieta para sobreviver. Por isso, hoje esses animais se alimentam tradicionalmente de bambu, já que em tempos de escassez, era o único alimento a que sempre tinham acesso nos frondosos bosques da China Antiga. É claro que, por se alimentar principalmente de vegetais, o urso-panda precisa ingerir grandes quantidades de bambu diariamente. Como dissemos, isso ocorre porque seu sistema digestivo não é o de um herbívoro, o que significa que ele não assimila nutrientes como um herbívoro puro faria. É por isso que um urso-panda adulto precisa consumir quantidades exorbitantes de bambu, como os cerca de 20 quilos dessa planta que ingerem diariamente.

Para saber mais sobre a alimentação do urso-panda, não perca esse artigo.

Hábitos do urso-panda

Para continuar com a descrição do urso panda, vamos agora falar sobre seus hábitos diários. O urso-panda é um animal que realiza sua atividade diária em dois momentos, ao nascer e ao pôr-do-sol. O resto de seu dia é bastante sedentário, e ele se limita apenas a comer e se esconder nos bosques onde vive. Pode passar entre 12 e 14 horas por dia apenas comendo, gastando ainda mais tempo nessa tarefa do que gasta dormindo.

Por viver em áreas de clima subtropical, o urso-panda não hiberna como os outros ursos, por exemplo, o urso-pardo, embora se adapte ao clima de acordo com a época do ano. Além disso, como não hiberna, ele precisa migrar para áreas menos frias para se alimentar, uma vez que os brotos e as plantas das quais ele se alimenta desaparecem com a geada e a neve.

O urso-panda costuma ser solitário e independente, embora estabeleça relações com seus semelhantes, sendo bastante amigável desde que um não se intrometa no território do outro. Em relação ao território, o urso-panda marca a área que considera sua com arranhões na casca das árvores, com urina e também com fezes, para que quando outro panda vir ou cheirar esses sinais, possa ser alertado e sair daquele território para evitar confrontos.

Reprodução do urso-panda

A estação reprodutiva do urso-panda dura apenas entre 1 e 5 dias, ocorre uma vez por ano e geralmente entre os meses de março e maio, dependendo do clima e da disponibilidade de recursos. É por isso que o acasalamento pode ser difícil, e se o macho e a fêmea não conseguirem se encontrar nesse curto período de tempo, terão que esperar mais um ano inteiro até que possam se reproduzir novamente.

Quando a fêmea está no cio, várias coisas podem acontecer. Se, por exemplo, nenhum macho a encontrar, o cio simplesmente acabará, e somente no ano seguinte ela poderá ter a oportunidade de se reproduzir novamente. Também pode ocorrer o contrário, ou seja, mais de um macho pode encontrar a mesma fêmea. Nesse caso, os machos se enfrentariam, e o vencedor copularia com a fêmea após passar alguns dias convivendo com ela. Outro fator relevante é a idade de cada um dos pandas. Se for muito desigual, a cópula provavelmente não ocorrerá, bem como se o casal não se entender ou brigar. Dessa forma, o cortejo do urso-panda é complexo. Por isso e pela curta duração de sua estação reprodutiva, não é fácil re-popular a espécie.

Uma vez que a cópula tenha sido bem sucedida e a gestação tenha se desenvolvido sem grandes inconvenientes, os filhotes de panda nascerão em cerca de 100-160 dias, dependendo do momento de implantação do óvulo e do desenvolvimento embrionário. Assim, durante os meses de agosto ou setembro, nasceria uma ninhada composta por dois ou três filhotes de panda, cada um pesando aproximadamente entre 90 e 130 gramas. Os filhotes de panda levam cerca de sete semanas para abrir os olhinhos. Até esse momento, a mãe permanecerá sempre com eles, jamais deixando seu abrigo, nem mesmo para se alimentar.

Somente quando eles abrirem os olhos é que a dedicada mamãe sairá para recuperar as forças, consumindo grandes quantidades de comida. Todas essas informações sobre o urso-panda para crianças e adultos nos permitem ver os fatores que ameaçam a espécie e as razões pelas quais se encontra em perigo de extinção.

Curiosidades

  • Você sabia que quando nascem, os ursos-pandas apresentam uma pele rosada com pelagem branca? As manchas pretas aparecem à medida que se desenvolvem.
  • Um urso-panda pode viver uma média de 20 anos.
Bibliografia
  • Animal Diversity Web. University of Michigan. Ailuropoda melanoleuca, giant panda.
  • International Union for Conservation of Nature (UICN). Giant Panda. Disponível em: <https://newredlist.iucnredlist.org/species/712/121745669>. Acesso em 12 de abril de 2021.

Fotos de Urso-panda

Artigos relacionados

Suba a sua foto de Urso-panda

Suba a foto do seu Pet

Escrever comentário

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
Como avalia esta raça?
Urso-panda
1 de 5
Urso-panda

Voltar ao topo da página