menu
Partilhar

Tubarão-de-cabeça-chata

Atualizado: 17 fevereiro 2022
Tubarão-de-cabeça-chata

O tubarão-de-cabeça-chata (Carcharhinus leucas), também conhecido como tubarão-cabeça-chata ou tubarão-do-zambeze, é uma espécie de peixe cartilaginoso, também conhecido nas regiões de língua inglesa como bull shark, sendo assim, quando traduzido, é erroneamente chamado de tubarão-touro. Contudo, na realidade não está diretamente relacionado com a espécie Carcharias tauro, que na realidade é o tubarão-touro. O tubarão-de-cabeça-chata pertence à ordem Carcharhiniformes, a fauna de tubarões dominante, e encontra-se principalmente em quase todas as águas tropicais do mundo. É uma espécie que tem sido muito explorada pela indústria pesqueira mundial, o que tem afetado a sua população global.

Existem registos importantes de alguns acidentes fatais resultantes do ataque deste tubarão a pessoas, razão pela qual é considerado perigoso para os humanos, por isso é muito importante manter as precauções necessárias nos habitats comuns deste animal. O tubarão-de-cabeça-chata tem uma peculiaridade única no mundo dos selachimorfos, quer saber o que é? Então, nós te convidamos a continuar lendo essa ficha do PeritoAnimal para descobrir este e outros fatos interessantes sobre as características do tubarão-de-cabeça-chata.

Origem
  • África
  • América
  • Ásia
  • Oceania
  • África do Sul
  • Austrália
  • Bangladesh
  • Brasil
  • Colômbia
  • Costa Rica
  • Equador
  • Estados Unidos
  • Fiji
  • Filipinas
  • Gâmbia
  • Guiné
  • Índia
  • Irã
  • Iraque
  • México
  • Moçambique
  • Nicarágua
  • Nova Caledônia
  • Peru
  • Senegal
  • Tanzânia
  • Venezuela

Características do tubarão-de-cabeça-chata

Em geral, é um tubarão grande, onde as fêmeas crescem para serem maiores do que os machos. Assim, as fêmeas, quando atingem a maturidade, medem entre 1,80 e 2,5 metros de comprimento, enquanto os machos medem entre 1,5 e um pouco mais de 2,2 metros. Em termos de peso, as fêmeas excedem 100 kg e os machos atingem em média cerca de 95 kg. O maior tubarão-cabeça-chata relatado em relação a essas características possuía 4 metros e 316,5 kg.

A cor do corpo do tubarão-de-cabeça-chata pode ser cinza-claro ou cinza-escuro e torna-se claro a branco na região ventral. Ao nascer, é de cor parda e as pontas das barbatanas são completamente escuras, mas tornam-se mais claras à medida que crescem. A pele é coberta com escamas placóides (dentículos dérmicos), típicas dos peixes elasmobrânquios, que se sentem ásperas ao toque mas fornecem proteção e tornam o nado do animal muito mais eficiente.

O focinho deste tubarão é curto, as estruturas dentárias diferem de acordo com o maxilar, sendo os dentes superiores largos, triangulares e em forma de serra, enquanto os dentes inferiores têm uma base larga, mas são mais finos. Geralmente, os dentes anteriores são simétricos e retos, mas os dentes posteriores tendem a ser oblíquos. Se estiver interessado neste curioso fato, não perca este outro artigo onde explicamos quantos dentes tem um tubarão, dependendo da espécie.

A característica mais proeminente do tubarão-de-cabeça-chata é a sua capacidade não só de entrar em corpos de água doce, mas também de permanecer lá por longos períodos de tempo. Isto é possível graças à retenção e regulação do sal através de glândulas especializadas, seus rins e fígado.

Habitat do tubarão-de-cabeça-chata

O tubarão-de-cabeça-chata é uma espécie que se encontra mundialmente em águas tropicais e temperadas quentes, com ocorrência sazonal em zonas temperadas frias. Encontra-se normalmente a profundidades inferiores a 30 m, mas pode atingir até 150 m nas águas da plataforma continental. A sua principal área de localização é a nas águas náuticas e costeiras.

Este tubarão migra frequentemente para estuários e sobe rios com muita facilidade, são alguns exemplos de rios onde foi identificado: Amazonas, Gâmbia, Ganges, Mississippi, San Juan, Tigre, Zambeze e Lago Nicarágua. Além disso, e em contraste com a sua presença nos habitats acima mencionados, também pode tolerar águas hipersalinas.

Hábitos do tubarão-de-cabeça-chata

Este animal costuma ser ativo durante o dia, penetrando as correntes de água doce em que se move. À noite, se optar por isso, regressa ao mar. Esta é a espécie de tubarão que passa mais tempo em água doce devido às adaptações acima mencionadas, por isso também costuma passar um tempo considerável em rios ou lagos de fluxo rápido, aos quais tem acesso através de estuários. Este comportamento significa que está muitas vezes próximo de áreas cheias de pessoas, tornando mais provável a ocorrência de acidentes, uma vez que, lembre-se, o tubarão-de-cabeça-chata é perigoso para os humanos.

Em algumas regiões move-se para norte no verão, enquanto no inverno regressa mais para sul se tiver preferência por estas áreas. É geralmente um tubarão agressivo, como as outras espécies do gênero Carcharhinus, e há registos de que ataca pessoas.

Alimentação do tubarão-de-cabeça-chata

É um caçador ativo, os adultos têm uma dieta bastante variada, enquanto os jovens, devido ao seu tamanho, têm uma dieta mais restrita. Mas o que come o tubarão-de-cabeça-chata? A dieta deste tipo de tubarão inclui uma grande variedade de peixes, tais como: carapau, sardinha, robalo, sável, tainha, bagre, peixe-gato, corvinas, jamanta, tubarão do banco de areia, peixe-gato de água salgada, pargo, cavala, entre outras espécies que formam cardumes e podem ser consumidas sem grandes problemas.

Também consome outros tipos de fauna aquática, tais como caranguejos, tartarugas, golfinhos, camarões, lulas e aves. Embora o tubarão-de-cabeça-chata possa parecer mover-se lentamente, apenas faz isso enquanto está no fundo; uma vez identificada a presa potencial, movimenta-se muito rapidamente. Assim, este tubarão é um carnívoro verdadeiramente voraz. Eventualmente, pode também cometer canibalismo, comendo indivíduos mais jovens ou feridos.

Reprodução do tubarão-de-cabeça-chata

A maturidade deste tubarão ocorre nos machos quando atingem 157-226 cm e nas fêmeas 180-230 cm. Quando a fêmea está pronta para se reproduzir, muda a forma como nada e a posição do focinho e da cauda para que o macho a possa identificar. Uma vez que isto ocorra, a copulação ocorrerá e neste momento o macho morde frequentemente a fêmea, de modo que as fêmeas têm normalmente cicatrizes nas suas barbatanas peitorais e pélvicas.

O tubarão-cabeça-chata é uma espécie vivípara, por isso as crias desenvolvem-se num saco vitelino. Uma ninhada consiste geralmente em 6 a 8 indivíduos, mas pode ser menor ou ter até 13. O período de gestação dura entre 10 e 11 meses. Antes do nascimento, a fêmea migra para estuários ou áreas de água doce onde as crias nascem. Os jovens permanecerão nestas áreas durante algum tempo, sendo alimentados e cuidados pela mãe. O crescimento ocorre a um ritmo de aproximadamente 18 cm no primeiro ano, 16 cm no segundo ano e depois cerca de 12 cm por ano.

Estado de conservação do tubarão-de-cabeça-chata

O tubarão-de-cabeça-chata está listado como quase ameaçado pela União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN). Devido à sua capacidade de se deslocar para zonas de água doce, é mais suscetível a vários impactos humanos, tais como a degradação do habitat e a pesca. A espécie é principalmente comercializada pela sua pele, fígado e barbatanas. Há também uma certa demanda para a exposição em aquário devido à sua agressividade. Atualmente, a captura acidental é uma ação que afeta de forma importante as populações em várias regiões.

Não existem registos particulares de planos ou ações de conservação generalizados para proteger essa espécie, para além da redução do uso de redes em zonas estuarinas e de água doce onde se encontram os locais de reprodução da espécie. É de extrema importância rever e aplicar medidas para evitar novos riscos sobre o crescimento populacional deste animal.

Referências
  1. Curtis, T. (2018). Carcharhinus leucas. Museo de Historia Natural de Florida. Disponível em: <https://www.floridamuseum.ufl.edu/discover-fish/species-profiles/carcharhinus-leucas/>. Acesso em 17 de fevereiro de 2022.
Bibliografia
  • Cascio, K. (2017). Carcharhinus leucas. Animal Diversity Web. University of Michigan, Museum of Zoology. Disponível em: <https://animaldiversity.org/accounts/Carcharhinus_leucas/>. Acesso em 17 de fevereiro de 2022.>. Acesso em 17 de fevereiro de 2022.
  • Simpfendorfer, C. y Burgess, G. (2009). Carcharhinus leucas. La Lista Roja de Especies Amenazadas de la UICN 2009: e.T39372A10187195. Disponible en: https://dx.doi.org/10.2305/IUCN.UK.2009-2.RLTS.T39372A10187195.en>. Acesso em 17 de fevereiro de 2022.

Fotos de Tubarão-de-cabeça-chata

Artigos relacionados

Suba a sua foto de Tubarão-de-cabeça-chata

Suba a foto do seu Pet

Escrever comentário

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
Como avalia esta raça?
Tubarão-de-cabeça-chata
1 de 3
Tubarão-de-cabeça-chata

Voltar ao topo da página