menu
Partilhar

Bardino majorero

Atualizado: 5 agosto 2022
Bardino majorero

O bardino majorero é a raça canina nativa da ilha de Fuerteventura, das Ilhas Canárias, na Espanha, onde é conhecida popularmente como "cão bardino". Trata-se de uma raça que foi usada durante mais de seis séculos como cão de guarda e cão pastor. Contudo, só foi no final do século passado que a Real Sociedade Canina da Espanha o reconheceu como raça canina autóctone.

Caso você se interesse por saber mais sobre as características do bardino majorero, continue lendo esta ficha de raça do PeritoAnimal, no qual detalhamos suas origens, temperamento e cuidados mais importantes.

Origem
  • Europa
  • Espanha
Características físicas
Altura
  • 15-35
  • 35-45
  • 45-55
  • 55-70
  • 70-80
  • Mais de 80
Peso adulto
  • 1-3
  • 3-10
  • 10-25
  • 25-45
  • 45-100
Esperança de vida
  • 8-10
  • 10-12
  • 12-14
  • 15-20
Atividade física recomendada
  • Baixa
  • Média
  • Alta
Recomendações
  • Arnês
Clima recomendado
Tipo de pelo

Origem do bardino majorero

O bardino majorero, popularmente conhecido como "cão bardino", é originário da ilha de Fuerteventura, nas Ilhas Canárias, Espanha. De fato, foram os conquistadores castelhanos que levaram os primeiros dogues canários à ilha, no século XV. Desde então, ele se tornou um cachorro imprescindível para os criadores de gado e os camponeses majoreros, que o utilizavam para as tarefas diárias de cuidado com o gado e de defesa das propriedades rurais. Sua capacidade para a luta fez com que eles fossem cruzados com os cachorros de presa que eram utilizados em combates no arquipélago canário, dando lugar ao atual presa canário.

Apesar de ter sido um cachorro tradicionalmente usado como cão de guarda e cão pastor em Forteventura, só foi no ano de 1979 que se celebrou a primeira exposição monográfica sobre o bardino majorero. A título de esclarecimento, cabe mencionar que as exposições monográficas são aquelas destinadas a uma raça específica, nas quais só é permitida a participação de cães de raça pura.

Essa exposição monográfica deu início ao processo para o reconhecimento dessa raça por parte da Real Sociedade Canina da Espanha, mas foi só em 1994 que se reconheceu definitivamente o bardino majorero como raça canina autóctone.

A decadência do setor primário e a introdução de raças caninas estrangeiras fizeram com que essa raça entrasse em um profundo declive, que a levou à beira da extinção. Mesmo assim, graças ao aparecimento de associações para a conservação do bardino majorero, integradas por criadores, cuidadores e simpatizantes da raça, conseguiu-se salvaguardar a sobrevivência dessa raça canária.

Características do bardino majorero

O bardino majorero é uma raça de cachorro médio-grande. Os machos pesam entre 30-45 kg e têm uma altura de cerca de 56 cm, enquanto que as fêmeas pesam entre 25-35 kg e têm uma altura de uns 54 cm.

Trata-se de um cachorro forte, compacto, com uma espinha dorsal ligeiramente ascendente no sentido da anca. Tem um andar alegre e vivo, e é capaz de adaptar seu passo e sua pisada à irregularidade e às asperezas de diferentes terrenos vulcânicos. Destaca-se por sua particular forma de se sentar, virado de lado, com o olhar atento ao que o rodeia, devido ao seu tradicional labor como vigilante e guardião.

A seguir, pontuamos as principais características do padrão racial do bardino majorero.

  • Caracteriza-se por ter um pescoço amplo, musculoso e poderoso, e uma cabeça relativamente pequena em comparação com o resto do corpo, o que lhe confere uma grande força na mandíbula e uma mordida firme.
  • Sua região facial tem uma depressão naso-frontal pouco marcada. Os olhos são bastante pequenos e têm uma cor que varia do âmbar ao preto. Tanto o contorno das pálpebras quanto os lábios têm uma pigmentação escura.
  • As orelhas têm uma inserção atrasada e alta. São caracterizadas por terem pregas duplas, o que os impede de mantê-las firmemente eretas.
  • O pescoço é poderoso e com muitos músculos, terminando em um peito amplo e profundo. O dorso também tem uma musculatura forte, e o abdômen não é flácido, mas ligeiramente retraído.
  • O rabo tem uma inserção bem mais alta, e, em estado de repouso, chega até o jarrete.
  • As extremidades são fortes e têm um aspecto firme. É característico que as extremidades posteriores sejam ligeiramente mais altas que as anteriores.

Cores do bardino majorero

A pelagem do bardino majorero tem uma longitude média, forte, mas suave e brilhante. Na área abaixo do rabo e na parte posterior da coxa, apresenta o pelo um pouco mais comprido que no restante do corpo.

O manto é sempre tigrado, com tonalidades que podem variar entre o esverdeado, amarelado, bege, cinza e preto. As franjas tigradas podem ser mais ou menos evidentes dependendo da cor base. Costumam apresentar uma máscara de cor escura, e podem ter manchas ou áreas brancas no pescoço, no peito, na cabeça ou na ponta do rabo.

Temperamento do bardino majorero

O bardino majorero se destaca por sua lealdade e fidelidade para com seus tutores e, em geral, com todo os membros da família. Contudo, costuma deixar bem demarcadas as distâncias diante de pessoas desconhecidas, pois é particularmente receoso e desconfiado com estranhos.

O majorero é um cachorro muito territorialista, valente e tremendamente defensor daquilo que ele considera seu. É apreciado por seu labor como cão pastor, já que trabalha bem com o gado, sem atacá-lo. Também é muito apreciado como cão de guarda e defesa, pois, sem ser feroz, pode chegar a agir com ímpeto e ferocidade, caso seja preciso.

O bardino majorero é perigoso?

Nenhum cachorro nasce sendo perigoso. Aqui entram em jogo a educação que ele recebe por parte de seus tutores e suas experiências vividas, e por isso um bardino majorero educado com respeito e usando-se técnicas positivas, não tem que ser perigoso ou, menos ainda, agressivo. Agora, se ele não for educado adequadamente, aí sim, é importante levar em consideração que, devido a suas características, o bardino majorero tem uma mordida forte e um grande instinto protetor.

Cuidados com o bardino majorero

No que diz respeito aos cuidados com o bardino majorero, é importante ter em mente uma série de considerações:

  • Nutrição: assim como qualquer outra raça, os majoreros precisam de uma dieta equilibrada, de acordo com sua idade e com seu nível de atividade. É importante levar em consideração o nível de desgaste físico do animal (o que dependerá do fato de ser um cão pastor, guardião, de companhia...), para, assim, poder adequar suas porções ao seu nível diário de atividade.
  • Exercício: os majoreros, assim como o restante dos cães pastores, precisam de um nível alto de exercícios físicos. São cachorros adaptados à vida rural, que desfrutam de correr e brincar livremente em ambientes seguros e amplos. Precisam de espaços abertos para seu lazer e diversão. Por isso, não é aconselhável mantê-los em casas pequenas ou apartamentos.
  • Asseio: a pelagem do bardino majorero não é difícil de se manter, embora, para mantê-la sadia e brilhante, será necessário penteá-la uma ou duas vezes por semana, e dar banho nele uma vez ao mês.
  • Enriquecimento ambiental: vivendo em ambientes rurais, encontram na natureza todos os estímulos de que precisam para se manter saudáveis e felizes. Porém, ao viverem em casas pequenas ou em apartamentos, embora desfrutem de passeios longos, será importante oferecer a eles um enriquecimento ambiental adequado, e dedicar tempo para brincar com eles. Assim, precisarão de brinquedos variados, praticar jogos de inteligência e de olfato, etc.

Educação do bardino majorero

Como explicamos anteriormente, os majoreros são cachorros com um grande instinto territorial e de defesa. Por isso, para essa raça, é especialmente importante garantir um correto adestramento e socialização desde tenra idade, para, assim, evitar comportamentos agressivos e indesejáveis em estágios posteriores. Mesmo assim, é imprescindível optar por técnicas de educação e de adestramento respeitosas com o animal, baseadas no reforço positivo e evitando os castigos e os gritos. Caso tenha adotado um bardino majorero filhote, em nosso artigo com conselhos para educar um cachorro lhe damos todas as dicas.

Caso você considere que não tem conhecimento suficiente sobre adestramento, recomendamos que entre em contato com um(a) educador(a) canino(a) para ser guiado adequadamente. Essa será a melhor maneira de conseguir uma convivência adequada e agradável para todos os membros da família.

Saúde do bardino majorero

Os majoreros são cachorros muito rústicos e resistentes, que têm uma grande tolerância ao calor e até à falta de água. Entretanto, isso não quer dizer que você não deva lhe proporcionar água ou lugares com sobra, mas sim que são simplesmente animais especialmente resistentes às adversidades, devido às suas origens.

Embora não seja uma raça especialmente predisposta a sofrer de alguma doença em específico, os bardinos não estão livres de ficarem doentes. Por isso, é fundamental que você siga o calendário de vacinação e de desparasitação que o seu veterinário recomendar, e que faça visitas ao veterinário regularmente, para, assim, garantir que a sua saúde física e mental se mantenham sempre num nível ótimo.

Oferecendo-se todos os cuidados de que o bardino majorero precisa, a expectativa de vida da raça se situa entre os 12 e os 14 anos.

Onde adotar um bardino majorero?

Como já comentamos, o bardino majorero é originário da ilha de Fuerteventura, na Espanha onde se encontra a maior população dessa raça. Sua presença no restante do território espanhol é escassa. Por isso, recomendamos que, se você quiser incluir um majorero na família, busque primeiro em associações protetoras de animais.

Outra opção é consultar nas associações encarregadas da conservação do bardino majorero, visto que uma de suas frentes de trabalho é a cessão de filhotes para que se consiga a manutenção e a sobrevivência da raça.

Contudo, te lembramos que o mais importante na hora de incluir um novo membro na família não é o cumprimento de algum padrão racial por parte dele, e sim que você possa acolhê-lo em sua casa e se adaptar às suas necessidades e estilo de vida.

Bibliografia
  • Real Sociedad Canina de España (RSCE). Estándar RSCE nº402. Majorero. Disponível em: <https://www.rsce.es/images/rsce/RREE/Standards/Standard_Majorero_espanyol.pdf>. Acesso em 5 de agosto de 2022.

Fotos de Bardino majorero

Artigos relacionados

Suba a sua foto de Bardino majorero

Suba a foto do seu Pet

Escrever comentário

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
Como avalia esta raça?
Bardino majorero
1 de 3
Bardino majorero

Voltar ao topo da página