Partilhar
Partilhar em:

Introduzir um novo cão em casa

Introduzir um novo cão em casa

Ver fichas de  Cachorros

Gosta de cachorros e quer ter mais de um em casa? Isto é algo que soa muito bonito na teoria, mas na prática, é um pouco mais complexo do que trazer simplesmente outro animal de estimação para viver consigo sob o mesmo teto.

Para introduzir um novo cão em casa, de maneira a que a dinâmica se mantenha igual e não afete nenhum membro da família, o mais importante é considerar como é a vida em casa e analisar a personalidade e os hábitos do outro cachorro depois para depois trazer o companheiro correto.

Antes de levar um segundo cachorro para casa, convidamos você a ler este artigo do PeritoAnimal, onde lhe vamos explicar a melhor forma de o fazer para que a chegada deste novo pet seja uma grande experiência para toda a família.

Pouco a pouco chega-se longe

Conhecer o comportamento do seu pet em relação a outros cães é uma excelente forma de verificar se poderia estar disponível emocionalmente para a chegada de outro cachorro ao seu território.

Apesar de estar corretamente socializado, deve observar como é a interação do seu cachorro com outros animais na primeira vez que os vir. De vez em quando, leve novos animais a casa e preste atenção a como o seu melhor amigo se relaciona com eles e com o fato de estar compartilhando o seu espaço pessoal.

Os cães devem se conhecer com cuidado e calma, não os perca de vista deixando-os sozinhos no jardim. Vá sempre pouco a pouco, você não vai querer pressionar o seu cachorro e levá-lo à reatividade ou apreensão.

Quando já tiver escolhido o mais indicado

Chegado o momento em que acredita ter encontrado o "match" perfeito para o seu animal de estimação, deverá fazer o primeiro encontro em um território neutro. É preferível que os dois tenham a coleira colocado, caso precise de corrigir algum movimento com tendência negativa ou de os separar.

Ao chegar ao parque deixe que ambos olhem um para o outro, mas não os aproxime. Ao fim de uns minutos, comece a caminhar e permita que de forma natural cada um se habitue à presença do outro. Mantenha-os separados por uma distância aproximada de 2 metros entre eles. Isto será um simples tema de energia. Enquanto estiverem separados, pode dar a cada um brinquedos que pertença ao outro cachorro para se irem habituando ao cheiro. Lembre-se que os cachorros são animais com altas habilidades olfativas.

A aproximação

Tudo deve ser progressivo. No dia seguinte ou no mesmo dia, dependendo da sociabilidade do seu cachorro, repita a ação anterior. Se vir que não se criou um ambiente ansiedade, pode aproximá-los um pouco mais.

Seria muito bom que o lugar onde se encontram seja o mais aberto possível. Desta forma, evitará que os dois cães se sintam presos ou encurralados e fomentará um comportamento natural. Neste caso pode usar as guias compridas, ou se vir que estão totalmente calmos com toda a situação, pode soltá-los mantendo-se sempre próximo a eles. Deixe se cheirarem por uns minutos e depois desvie a atenção (normalmente) para outra ação.

Se tudo estiver bem e os cachorros começarem a brincar, deixe que o façam por um tempo. No entanto, de vez em quando volte a redirecionar a sua atenção para outras atividades em grupo, como por exemplo continuar a caminhada e jogar à perseguição. O objetivo é que todas estas interações em espaços neutros comecem e acabem de forma totalmente positiva.

Hora de ir para casa

Chegamos ao ponto e ao lugar que mais nos interessa, a casa. Lembre-se antes de mais, que estes primeiros contatos vão definir o tom da relação. Leve os dois cães para casa, mas primeiro leve-os ao jardim para interagirem um com o outro. Se vir que tudo corre bem, abra a porta de casa e deixe-os entrar acompanhando-os em todo o processo. O cachorro novo vai cheirar tudo (deixe-o fazer isso, pois é um novo território) e o cachorro residente ficará muito atento ao seu comportamento para reagir de uma forma ou outra.

Permita a interação entre eles mas que seja curta e positiva. Queremos evitar que estas interações se tornem demasiado longas e passem a ser muito intensas. Se houver algum sinal de tensão, afaste-os e volte a tentar depois, nunca pressione nenhum dos dois cachorros a aceitarem-de de forma obrigatória.

Não se esqueça que deve ter preparado um segundo comedouro, uma segunda cama até brinquedos novos para não existirem conflitos entre um e o outro.

Quando está fora de casa

Nos primeiros dias quando precisar sair de casa e, enquanto os seus pets se estiverem habituando à presença um do outro e a compartilhar territórios, separe os seus espaços. Isto vai ajudar a evitar brigas na sua ausência e a minimizar comportamentos negativos nos dois cachorros.

Ao chegar a casa, junte-os e passe tempo de qualidade com os dois. É importante que saiba que, apesar do cachorro "novo" na família representar uma companhia para o cachorro "velho", de forma alguma é uma substituição da sua presença e do seu carinho.

Funcionou?

Saberá que o seu cão está contente e se está habituando à presença do novo membro, quando este não o perseguir o tempo todo cheirando os seus passos, estiver ansioso cheirando cada lugar onde esteve ou simplesmente o deixar fazer a sua vida normal dentro de casa. Será a forma indireta que o seu cachorro tem para dar as boas vindas ao seu novo amigo.

Outras recomendações

  • Combine personalidades: Se o seu cachorro já tem alguma idade e é calmo, não leve para casa um cão hiperativo, procure um de caráter tranquilo como ele. Devemos tentar que todos se sintam bem.
  • Suficiente para todos: Brinquedos, camas, recipientes de comida... Também nos referimos à sua presença. Eles precisam de si, por isso as suas mãos, beijos e carícias devem se multiplicar por dois, assim como todos os objetos pessoais de cada um.
  • Seja consciente da linguagem corporal e esteja atento aos sinais que emitem entre eles, mas também não os force a interagir. Os rosnados podem ser simples alertas como um "deixa-me em paz", por isso não tem que se preocupar.
  • Evite os ciúmes, certifique-se de dar a cada um a sua atenção pessoa e ao mesmo tempo a sua atenção em grupo.

Não se esqueça que podem surgir conflitos, por isso antes da adoção do seu cachorro avalie se está preparado para assumir um gasto extra no caso de ter que consultar um etólogo ou educador canino.

Também deve avaliar a importância e as vantagens de esterilizar o seu pet. Especialmente se está pensando em adotar um cachorro do outro sexo e não pode manter economicamente uma ninhada, deve pensar em castrar um dos cachorros, ou os dois.

Se deseja ler mais artigos parecidos a Introduzir um novo cão em casa, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de O que precisa saber.

Comentários (0)

Escrever comentário sobre Introduzir um novo cão em casa

O que lhe pareceu o artigo?

Introduzir um novo cão em casa
1 de 8
Introduzir um novo cão em casa