Partilhar

Características dos répteis

 
Por Ana Diaz Maqueda. 15 outubro 2019
Características dos répteis

Os répteis são um grupo diversificado de animais. Nele encontramos os lagartos, cobras, tartarugas e crocodilos. Esses animais habitam a terra e a água, tanto doce quanto salgada. Podemos encontrar répteis em florestas tropicais, desertos, prados e até nas áreas mais frias do planeta. As características dos répteis permitiram colonizar uma grande variedade de ecossistemas.

Neste artigo do PeritoAnimal, conheceremos as características dos répteis que os tornam animais extraordinários, além de imagens de répteis impressionantes!

Também lhe pode interessar: Características dos gatos amarelos

Classificação dos répteis

Os répteis são animais vertebrados que são derivados de um grupo de anfíbios fósseis reptilomórficos chamados Diadectomorfos. Esses primeiros répteis se originaram durante o carbonífero, época em que havia uma grande variedade de alimentos disponíveis.

Evolução dos répteis

Os répteis a partir dos quais os répteis atuais evoluíram são classificados em três grupos, com base na presença de aberturas temporais (possuem orifícios no crânio, para reduzir seu peso):

  • Sinápsidos: répteis similares aos mamíferos e que deram origem a eles. Apresentavam apenas uma abertura temporal.
  • Testudines ou anápsidos: deram lugar às tartarugas, não têm aberturas temporais.
  • Diápsidos, se dividem em dois grupos: arcossauromorfos, que incluem todas as espécies de dinossauros e que deram origem a pássaros e crocodilos; e lepidosauromorfos, que originaram lagartos, cobras e outros.

Tipos de répteis e exemplos

Na seção anterior, você conheceu a classificação dos répteis que originaram os atuais. Hoje, nós conhecemos três grupos de répteis e exemplo:

Crocodilos

Entre eles, encontramos os crocodilos, caimões, gaviais e jacarés, e estes são alguns dos exemplos de répteis mais representativos:

  • Crocodilo-americano (Crocodylus acutus)
  • Crocodilo-mexicano (Crocodylus moreletii)
  • Jacaré-norte-americano (Alligator mississippiensis)
  • Jacaretinga (Caiman crocodilus)
  • Jacaré-do-pantanal (Caiman yacare)

Escamosos ou Squamata

São répteis como serpentes, lagartos, iguanas e cobras-cegas, como por exemplo:

  • Dragão-de-Komodo (Varanus komodoensis)
  • Iguana-marinha (Amblyrhynchus cristatus)
  • Iguana-verde (Iguana iguana)
  • Osga-moura (Tarentola mauritanica)
  • Pitão-verde-arborícola (Morelia viridis)
  • Cobra-cega (Blanus cinereus)
  • Camaleão-do-Iêmen (Chamaeleo calyptratus)
  • Diabo-espinhoso (Moloch horridus)
  • Sardão (Lacerta lepida)
  • Iguana-do-deserto (Dipsosaurus dorsalis)

Testudines

Este tipo de répteis corresponde às tartarugas, tanto terrestres como aquáticas:

  • Tartaruga-grega (Testudo graeca)
  • Tartaruga-russa (Testudo horsfieldii)
  • Tartaruga-verde (Chelonia mydas)
  • Tartaruga-comum (Caretta caretta)
  • Tartaruga-de-couro (Dermochelys coriacea)
  • Tartaruga-mordedora (Chelydra serpentina)
Características dos répteis - Tipos de répteis e exemplos

Reprodução dos répteis

Depois de ver alguns exemplos de répteis, seguimos com suas características. Os répteis são animais ovíparos, ou seja, que botam ovos, embora alguns répteis sejam ovovivíparos, como algumas cobras, que dão luz às crias totalmente formadas. A fecundação desses animais é sempre interna. A casca dos ovos pode ser dura ou fina.

Nas fêmeas, os ovários ficam "flutuando" na cavidade abdominal e têm uma estrutura chamada ducto de Müller, que secreta a casca dos ovos.

Pele dos répteis

Uma das características mais importantes dos répteis é que em sua pele não existem glândulas mucosas para proteção, apenas escamas epidérmicas. Essas escamas podem ser organizadas de diferentes maneiras: lado a lado, sobrepostas, etc. As escamas deixam uma área móvel entre elas, chamada de dobradiça, para permitir a realização de movimentos. Sob as escamas epidérmicas, encontramos escamas ósseas chamadas osteodermos, cuja função é tornar a pele mais robusta.

A pele dos répteis não é trocada em pedaços, mas em uma peça inteira, a exúvia. Afeta apenas a parte epidérmica da pele. Você já conhecia essa característica dos répteis?

Respiração dos répteis

Se revisarmos as características dos anfíbios, veremos que a respiração ocorre através da pele e os pulmões são fracamente divididos, ou seja, eles não têm muitas ramificações para a troca gasosa. Nos répteis, por outro lado, essa divisão aumenta, fazendo com que eles produzam um certo barulho ao respirar, especialmente os lagartos e crocodilos.

Além disso, os pulmões dos répteis são atravessados por um conduto chamado mesobrônquio, que tem ramificações onde ocorrem trocas gasosas no sistema respiratório dos répteis.

Características dos répteis - Respiração dos répteis

Sistema circulatório dos répteis

Diferente dos mamíferos ou das aves, o coração dos répteis tem apenas um ventrículo, que em muitas espécies começa a se dividir, mas se divide completamente apenas nos crocodilianos.

Coração dos répteis crocodilianos

Nos crocodilianos, além disso, o coração tem uma estrutura chamada orifício de Paniza, que faz a comunicação da parte esquerda do coração com a direita. Essa estrutura é utilizada para reciclar o sangue quando o animal está submerso na água e não pode ou não quer sair para respirar, essa é uma das características dos répteis que impressiona.

Sistema digestório dos répteis

Falando sobre répteis e características gerais, o sistema digestivo dos répteis é muito semelhante ao dos mamíferos. Ele começa na boca, que pode ou não ter dentes, segue para o esôfago, estômago, intestino delgado (muito curto nos répteis carnívoros) e intestino grosso, que desemboca na cloaca.

Os répteis não mastigam os alimentos; portanto, aqueles que comem carne produzem grandes quantidades de ácido no trato digestivo para promover a digestão. Da mesma forma, esse processo pode durar vários dias. Como informação adicional sobre os répteis, podemos dizer que alguns deles engolem pedras de vários tamanhos, porque elas ajudam a esmagar alimentos a nível do estômago.

Alguns répteis têm dentes venenosos, como as cobras e 2 espécies de lagartos monstro-de-gila, da família Helodermatidae (no México). Ambas as espécies de lagartos são muito venenosas, e possuem glândulas salivares modificadas que são chamadas de glândulas de Durvernoy. Possuem um par de sulcos para secretar uma substância tóxica que imobiliza a presa.

Dentro das características dos répteis, nas cobras, especificamente, podemos encontrar diferentes tipos de dentes:

  • Dentes áglifos: sem canal.
  • Dentes opistóglifos: localizados na parte posterior da boca, possuem um canal pelo qual se inocula o veneno.
  • Dentes protoróglifos: localizados na parte anterior e possuem um canal.
  • Dentes solenóglifos: presentes apenas em víboras. Possuem um ducto interno. Os dentes podem se mover de trás para a frente, e são mais venenosos.
Características dos répteis - Sistema digestório dos répteis

Sistema nervoso dos répteis

Pensando nas características dos répteis, embora anatomicamente o sistema nervoso dos répteis tenha as mesmas partes que o sistema nervoso dos mamíferos, ele é muito mais primitivo. Por exemplo, o cérebro de répteis não possui convoluções, que são os sulcos típicos do cérebro que servem para aumentar a área de superfície sem aumentar seu tamanho ou o volume. O cerebelo, responsável pela coordenação e equilíbrio, não possui dois hemisférios e é altamente desenvolvido, assim como os lobos ópticos.

Alguns répteis têm um terceiro olho, que é um receptor de luz que se comunica com a glândula pineal, localizada no cérebro.

Sistema excretor dos répteis

Os répteis, assim como muitos outros animais, têm dois rins que produzem a urina e uma bexiga que a armazena antes de ser eliminada pela cloaca. No entanto, alguns répteis não têm bexiga e eliminam a urina diretamente pela cloaca, em vez de armazená-la, sendo essa uma das curiosidades dos répteis que poucas pessoas sabem.

Devido à maneira como sua urina é produzida, os répteis aquáticos produzem muita amônia, que precisa ser diluída com a água que eles bebem quase continuamente. Por outro lado, os répteis terrestres, com menos acesso à água, transformam a amônia em ácido úrico, que não precisa ser diluído. Isso explica essa característica dos répteis: a urina dos répteis terrestres é muito mais espessa, pastosa e branca.

Alimentação dos répteis

Dentro das características dos répteis, notamos que eles podem ser animais herbívoros ou carnívoros. Os répteis carnívoros podem ter dentes afiados, como os crocodilos, dentes inoculadores de veneno, como cobras, ou um bico serrilhado como as tartarugas. Outros répteis carnívoros se alimentam de insetos, como é o caso de camaleões ou lagartixas.

Por outro lado, os répteis herbívoros comem uma grande variedade de frutas, vegetais e ervas. Eles geralmente não têm dentes visíveis, mas têm muita força nas mandíbulas. Para se alimentar, arrancam pedaços da comida e os engolem inteiros, então é comum que comam pedras para ajudar na digestão.

Se quiser conhecer outros tipos de animais herbívoros ou carnívoros, assim como todas as suas características, não perca estes artigos:

Características dos répteis - Alimentação dos répteis

Outras características dos répteis

Nas seções anteriores, revisamos as diferentes características dos répteis, referentes à sua anatomia, alimentação e respiração. No entanto, existem muitas outras características comuns em todos os répteis, e agora vamos te mostrar as mais curiosas:

Os répteis têm membros curtos ou ausentes

Geralmente, os répteis têm membros muito curtos. Alguns répteis, como cobras, nem têm pernas. São animais que se movem muito perto do chão. Os répteis aquáticos também não têm membros longos.

Os répteis são animais ectotérmicos

Os répteis são animais ectotérmicos, o que significa que não são capazes de regular sua temperatura corporal sozinhos, e dependem da temperatura do ambiente. A ectotermia está ligada a certos comportamentos. Por exemplo, répteis são animais que geralmente passam longos períodos ao sol, de preferência em rochas quentes. Quando sentem que a temperatura do corpo aumentou muito, eles se afastam do sol. Nas regiões do planeta onde os invernos são frios, os répteis hibernam.

Órgão vomeronasal ou de Jacobson nos répteis

O órgão vomeronasal ou o órgão de Jacobson é usado para detectar algumas substâncias, geralmente feromônios. Além disso, através da saliva, se impregnam as sensações gustativas e olfativas, ou seja, o paladar e o olfato passam pela boca.

Fossetas loreais receptoras de calor

Alguns répteis percebem pequenas alterações de temperatura, detectando diferenças de até 0,03ºC. Essas fossetas estão localizadas na face, podendo estar presentes um ou dois pares, ou até mesmo 13 pares de fossetas.

Dentro de cada fosseta existe uma câmara dupla separada por uma membrana. Se houver um animal de sangue quente por perto, o ar na primeira câmara aumenta e a membrana interna estimula as terminações nervosas, alertando o réptil da presença de uma presa em potencial.

E já que o assunto são as características do répteis, você já pode conferir o vídeo no nosso canal do YouTube que apresenta uma espécie impressionante citada nesse artigo, o dragão-de-komodo:

Se deseja ler mais artigos parecidos a Características dos répteis, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Curiosidades do mundo animal.

Bibliografia
  • Beynon, P. H., Lawton, M. P. C., & Cooper, J. E. (1994). Manual of reptiles. Journal Of Veterinary Medical Education, 21(2).
  • Campbell, J. A. (2004). The venomous reptiles of the western hemisphere (No. 597.96165 C3).
  • Daniel, J. C., & Bombay Natural History Society. (2002). The book of Indian reptiles and amphibians. India: Bombay Natural History Society.

Vídeos de Características dos répteis

1 de 3
Vídeos de Características dos répteis

Escrever comentário sobre Características dos répteis

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?

Características dos répteis
1 de 5
Características dos répteis

Voltar ao topo da página