Partilhar

Tipos de alimentação para cães

Por Vanessa Lopes, Redatora do PeritoAnimal. 18 abril 2016
Tipos de alimentação para cães

Ver fichas de  Cachorros

Os tipos de alimentos para cachorros e aqueles que são ou não recomendáveis podem variar dependendo de quem o informar sobre este tema tão complexo.

Se tem dúvidas sobre a ração, a comida úmida ou as dietas caseiras, entrou no sítio certo, embora deva ter em conta que as necessidades do seu cachorro serão diferentes dependendo do tamanho ou da atividade física que realizar.

Continue lendo este artigo do PeritoAnimal para conhecer mais sobre os diferentes tipos de alimentação para cães.

Também lhe pode interessar: Suplementos alimentares para cães

O que um cão precisa

Devemos reforçar o fato do cachorro ser um animal carnívoro. Na natureza, um cão irá alimentar-se exclusivamente de carne, e como consequência de caçar, também incluirá na sua dieta frutas ou vegetais já digeridas no intestino das suas presas.

Devemos observar bem as percentagens tanto da ração como da comida úmida para compreender se se trata de um alimento adequado ou não e, mesmo assim vamos chegar à conclusão de que não existe uma única dieta perfeita.

É por esse motivo que muitos profissionais concordam que na variedade está a chave para uma alimentação adequada.

Tipos de alimentação para cães - O que um cão precisa

A ração seca

Se estiver procurando uma ração seca de qualidade para um cão adulto e saudável, deverá conferir as percentagens que a embalagem indica. De seguida, damos-lhe alguns conselhos:

  • A ração seca deve ter pelo menos cerca de 30% ou 40% de proteína. Embora normalmente provenha de apenas um tipo de carne, é benéfico para a sua saúde a variedade entre carnes e inclusive peixe.
  • Cerca de 20% de frutas e verduras é totalmente aceitável.
  • As gorduras e óleos devem constituir cerca de 10% ou 20% do total da ração.
  • O conteúdo cereal do alimento deve ser baixo e de preferência de arroz. Se o conteúdo de milho for alto, isso pode provocar no seu cachorro uma digestão lenta e difícil. Os hidratos de carbono não são necessários para a sua alimentação. Se vir uma percentagem de 6% é um indicador de uma ração de muito má qualidade.
  • As fibras não devem superar 1% ou 3%.
  • Devem estar presentes o ômega 3 e o ômega 6, assim como vitaminas E, cálcio e fósforo.

Outros conselhos:

  • Se a palavra farinhas estiver mencionada, então é um indicador de que tanto a carne como as verduras incluem todo o tipo de extras: intestinos, ossos, folhas,...
  • É correto que a ração ofereça entre 200 e 300 Kcal por cada 100 gramas.
  • Fuja dos subprodutos e das carnes que oferecerem colágeno.
  • Opte por uma ração cozida ao invés de uma extrusada.
  • A ração favorece o desaparecimento de tártaro nos dentes do cachorro.
Tipos de alimentação para cães - A ração seca

A comida úmida

A comida úmida é composta por 3/4 partes de água e é bastante aceite pelo seu animal de estimação, uma vez que é fácil de mastigar e apetecível. Ainda assim, não devemos dá-la diariamente mas sim oferecê-la de vez em quando. O que deve conter?

Tal como a ração, a comida úmida deve ter um alto conteúdo em carne e gorduras assim como uma menor proporção de verduras e frutas.

É importante que saibamos que a comida úmida contém metade das calorias da ração tradicional. Mas também ajuda a que o seu cachorro ingira líquido, o que reduz o risco de infecções urinárias.

Tipos de alimentação para cães - A comida úmida

As dietas caseiras

Existe toda uma variedade de dietas para o seu animal de estimação que você mesmo pode realizar em casa sem grande dificuldade. Para fazer dietas caseiras precisamos de uma informação prévia e detalhada de todas as necessidades do cachorro, assim como produtos de alta qualidade. Algumas dietas como a BARF aconselham alimentar o cachorro tal como o faria na natureza oferecendo-lhe carne, ossos ou ovos, tudo isso cru, embora outros donos prefiram cozinhar estes alimentos ao vapor ou na panela (sempre sem sal e sem azeite).

A composição das dietas caseiras costuma conter cerca de 60% de osso com carne e músculo, cerca de 25% apenas de carne e por fim, cerca de 15% de fruta, verdura, vegetais, ovos ou vísceras.

O problema das dietas caseiras é que se não nos informarmos corretamente podemos provocar carências na alimentação do cachorro e, podem inclusive surgir problemas se o nosso animal de estimação não estiver habituado e pode engasgar-se com algum osso.

Por último, recomendamos a todos aqueles donos que preferirem oferecer ao seu cachorro uma alimentação saudável que não hesitem em utilizar os três tipos de alimentação de forma variada prestando sempre especial atenção à qualidade do alimento assim como das necessidades do alimento.

Tipos de alimentação para cães - As dietas caseiras

Se deseja ler mais artigos parecidos a Tipos de alimentação para cães, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Dietas equilibradas.

Escrever comentário sobre Tipos de alimentação para cães

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?
2 comentários
Denise Rodrigues
Meu filhote tem um mês e fez fezes preta, o que pode ser?
Inês Varela
Estou a pensar em começar a fazer uma alimentação natural para os meus cães, apesar de estarem a comer uma boa ração a minha cadela continua com excesso de peso e com 13 anos peso a mais ele com quase 5 está óptimo, por isso gostaria de experimentar uma alimentação caseira que desse para os dois, o problema é que ainda não percebi bem as quantidades, por exemplo para dois labradores qual seria a quantidade? Continuam a comer duas vezes por dia?
Mariana Castanheira (Editor/a de PeritoAnimal)
Olá Inês! A quantidade de comida depende da idade e peso do animal, assim como do estado de saúde dele. Para além disso, é importante referir que uma dieta caseira deve ser elaborada de forma a suprir todas as necessidades do animal em si, tendo em conta não só a idade e peso como o historial clínico. Na minha opinião, uma ração comercial superpremium elaborada especialmente para cães com excesso de peso é o ideal, pois estas rações foram elaboradas e estudadas exatamente para esse efeito. Você pode seguir indicação de quantidade mas o ideal é que seja o médico veterinário que acompanha o animal a determinar essa quantidade. De qualquer forma, se gostaria de optar por iniciar uma dieta natural, é essencial que consulte um especialista em nutrição animal que elabore um plano específico para os seus cães, para evitar futuras carências nutricionais. Para além disso, aconselho a leitura do nosso artigo sobre a obesidade em cães que tem algumas dicas que podem ser úteis para a sua cadela: https://www.peritoanimal.com.br/prevenir-a-obesidade-em-cachorros-2368.html. Continue nos acompanhando!
Inês Varela
Obrigado Dra. Mariana pois vou seguir o seu conselho e o próximo passo é mesmo consultar então a Veterinária para saber se será o melhor caminho mesmo. Muito obrigado

Tipos de alimentação para cães
1 de 5
Tipos de alimentação para cães

Voltar ao topo da página