Raiva em gatos - Sintomas e Prevenção

Raiva em gatos - Sintomas e Prevenção

De certeza que já ouviu falar alguma vez de raiva canina, uma doença que afeta todos os mamíferos e que pode inclusive contagiar o ser humano. Apesar da raiva não ser uma doença muito comum em gatos, é muito perigosa, uma vez que não tem cura e causa a morte do animal.

Se o seu gato sai muito de casa e está em contato com outros animais deve ter em conta esta doença, informar-se sobre ela e tomar as medidas necessárias para a prevenir. Tenha em conta que uma mordida de uma animal infetado é suficiente para o seu contágio.

Se quer saber como é a raiva em gatos, os seus sintomas, prevenção e contágio, continue lendo este artigo do PeritoAnimal.

O que é a raiva?

A raiva é uma doença infecciosa viral que afeta todos os mamíferos e, por isso, os gatos também podem sofrer dela. É uma doença grave que costuma causar a morte, pois afeta o sistema nervoso central causando encefalite aguda nos pacientes.

Contagia-se através da mordida de um animal infetado ou de feridas durante uma briga com um animal com raiva. É importante referir que não surge de forma espontânea, tem de ser transmitida por outro animal, por isso se o seu gato sofre desta doença significa que em algum momento esteve em contato com outro animal infetado ou com seus restos. O vírus está presente nas secreções e saliva destes animais, por isso uma simples mordida é suficiente para transmitir o vírus.

Morcegos que voam de dia e chocando em objetos é possível que sofram de raiva, por isso é importante nunca deixar o seu gato se aproximar deles.

Infelizmente, a raiva é uma doença que não tem cura. É rara e causa a morte da maioria dos gatos contagiados.

Vacina contra a raiva felina

A vacina antirrábica é o único método de prevenção da raiva. A primeira dose aplica-se aos três meses de idade e depois existem reforços anuais. Normalmente vacina-se de forma periódica os cachorros mas não os gatos, por isso deve considerar se o seu gato está exposto a zonas de risco ou se entra em contato com animais selvagens. Se for assim, o melhor é a vacinação.

Existem regiões no mundo com maior risco que outras. Na Europa a raiva está quase em desaparecimento, mas de vez em quando surge algum caso isolado. Informe-se sobre a presença da doença no local onde vive para estar alerta e evitar que o seu gato se contagie com raiva. Em alguns países é obrigatória a vacina contra a raiva.

Esta vacina pode ser obrigatória para sair com o seu gato do país ou para participar em concursos ou exposições, por isso se informe sempre antes. Mas se o seu nunca sai à rua, talvez o seu veterinário não considere necessário administrá-la.

Fases da doença

Existem várias fases da raiva em gatos:

  • Período de incubação: é assintomática, o gato não apresenta sintomas evidentes. Este período varia muito, podendo durar de uma semana a vários meses. O mais comum é que comecem a mostrar sintomas a partir do mês após o contágio. Neste período a doença espalha-se pelo corpo.
  • Período prodrômico: nesta fase já ocorrem mudanças no comportamento. O gato fica cansado, com vômitos e excitado. Esta fase pode durar entre dois e 10 dias.
  • Fase de excitação ou furiosa: é a fase mais caraterística da raiva. O gato está muito irritável, com mudanças bruscas no comportamento, podendo chegar a morder e a atacar.
  • Fase paralítica: ocorre paralisia generalizada, espasmos, coma e por fim, a morte.

O período entre fases pode variar em cada gato. O mais comum é começar com mudanças no comportamento até que o sistema nervoso esteja muito afetado e começarem as convulsões e outros problemas nervosos.

Sintomas da raiva felina

Os sintomas são vários e nem todos os gatos apresentam os mesmos, sendo que os mais comuns são os seguintes:

  • Miados anormais
  • Comportamento atípico
  • Irritabilidade
  • Excesso de salivação
  • Febre
  • Vômitos
  • Perda de peso e de apetite
  • Aversão à água
  • Convulsões
  • Paralisia

Alguns gatos não sofrem de vômitos, outros não têm excesso de salivação e, outros podem sofrer de um quadro nervoso e morrer de repente. Por outro lado, a aversão ou medo da água é um sintoma de animais que sofrem de raiva, por isso também se conhece a doença como hidrofobia. No entanto, os gatos não gostam normalmente de água pelo que não é um sintoma claro e evidente.

Muitos destes sintomas, sobretudo nas primeiras fases, podem ser confundidos com outras doenças. Se o seu gato apresenta alguns destes sintomas e esteve envolvido em uma briga há pouco tempo, consulte um veterinário o quanto antes. Apenas ele poderá fazer o diagnóstico adequado.

Tratamento da raiva em gatos

A raiva não tem tratamento. Age de forma muito rápida e é letal para os gatos. Se o seu gato foi infetado, a primeira coisa que o seu veterinário irá fazer é isolá-lo para evitar que contagie outros felinos. Dependendo do avanço da doença, a eutanásia pode ser a única opção.

Por este motivo é muito importante a prevenção, visto que é a única forma de proteger o seu gato contra esta doença. Preste especial atenção se o seu gato sai de casa e se está em contato com outros animais.

Lembre-se que a raiva afeta os cachorros, gatos, furões, morcegos e raposas. Qualquer briga do seu gato com estes animais pode causar-lhe um contágio. Se o seu gato se costuma envolver em brigas, então o melhor é vaciná-lo.

Este artigo é meramente informativo, no PeritoAnimal.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos veterinários nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Sugerimos-lhe que leve o seu animal de estimação ao veterinário no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se deseja ler mais artigos parecidos a Raiva em gatos - Sintomas e Prevenção, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Doenças infecciosas.