Partilhar

Piodermite canina - foliculite superficial em cães

Por Mariana Castanheira, Médica Veterinária. Atualizado: 5 dezembro 2017
Piodermite canina - foliculite superficial em cães

Ver fichas de  Cachorros

A foliculite bacteriana, um tipo de piodermite canina, é uma dermatite, ou seja uma infecção da pele. As bactéria causadoras pertencem ao gênero Staphylococcus.

Este problema dermatológico é muito comum em cachorros, pois é uma das dermatopatias mais comuns. Esta doença pode afetar tanto cachorros de raça, vira-latas, de qualquer idade ou sexo.

Neste artigo do PeritoAnimal vamos te explicar tudo o que você precisa saber sobre a piodermite canina - foliculite superficial em cães. Continue lendo!

Também lhe pode interessar: A raiva canina

Piodermite canina: causas

A piodermite bacteriana, também chamada de foliculite superficial é habitualmente secundária, ou seja consequente a outros problemas do cachorro. A agente mais usualmente envolvido nesta infeção é o Staphylococcus pseudointermedius que é um micro-organismo oportunista, ou seja, aproveita-se da debilidade do sistema imunológico do cachorro. Este organismo faz parte da flora normal do cachorro, o problema é quando o sistema imunitário do cachorro está comprometido e este organismo se aproveita da situação e se reproduz mais do que o normal. É a proliferação exagerada deste organismo que vai alterar a pele do cachorro e originar a infecção bacteriana.

Não existe apenas a foliculite superficial. Na verdade, existem três tipos de piodermite:

  • Piodermite externa
  • Piodermite superficial
  • Piodermite profunda

A classificação é dada de acordo com a profundidade da lesão e o médico veterinário irá prescrever um tratamento de acordo com o tipo de piodermite que o seu cachorro tiver. Por esse motivo é tão importante que o seu cachorro seja visto por um médico veterinário se você desconfia que ele tem este problema. É necessário ter um diagnóstico correto para fazer um tratamento adequado.

Como já referimos, a foliculite bacteriana superficial é a mais comum nos cachorros. As causas mais comuns para esta doença são:

  • Parasitas como ácaros, pulgas, carrapatos
  • Doenças endócrinas (hipotireoidismo, hiperadrenocorticismo)
  • Fármacos corticoides
  • Fungos (dermatofitose)
  • Dermatite atópica.

Piodermite canina: sintomas

Os sinais clínicos associados à piodermite canina podem variar. De uma forma geral, podemos afirmar que os sintomas da piodermite canina são:

  • Áreas alopécias (zonas sem pelo)
  • Pelo de aspeto eriçado
  • Crostas
  • Descamação
  • Pápulas (pequenas bolinhas)
  • Pústulas (parecem espinhas)
  • Eritema (vermelhidão)
  • Prurido (coceira)

Zonas de pus nos folículos são um dos sinais clínicos mais habituais nos cachorros com este problema, como consequência da infecção. Essa infecção pode originar pústulas, pápulas, etc. As regiões de alopécia surgem como consequência da perda dos pelos dos folículos afetados pelo excesso de proliferação do micro-organismo.

Se o seu cachorro tem falhas no pelo e crostas amarelas, você deve desconfiar deste problema e procurar de imediato um médico veterinário.

Piodermite canina - foliculite superficial em cães - Piodermite canina: sintomas

Piodermite canina é contagiosa?

Como já referimos, esta dermatite é oportunista, ou seja, o seu pet não vai transmitir esta doença a outro animais animais, humanos e não humanos. Para que esta doença ocorra, é preciso que o sistema imunitário do animal esteja comprometido e isso favoreça a proliferação exagerada deste micro-organismo. Assim sendo, não se preocupe que o seu pet não vai transmitir esta doença para você ou outros habitantes da casa.

Diagnóstico da foliculite bacteriana superficial em cachorros

Geralmente, o médico veterinário se baseia na história e exame clínico do cachorro, aliado a alguns exames complementares. Existem diferentes doenças com uma apresentação clínica semelhante à piodermite, por isso é tão importante a realização de provas de diagnóstico.

Algumas das possíveis provas de diagnóstico que o seu médico veterinário pode realizar são:

  • Raspado cutâneo: esta é uma das provas dermatológicas mais comuns em dermatologia veterinária. É um teste bastante rápido e fácil e permite que o médico veterinário perceba que agentes estão envolvidos no problema, para poder descartar alguns diagnósticos diferenciais.
  • Cultura fúngica: Um dos principais causadores das foliculites são os dermatófitos. Este exame permite investigar a presença de fungos no processo dermatológico.
  • Citologia: O médico veterinário recolhe uma amostra de uma das lesões, por exemplo de uma pústula e analisa esse material no microscópio. Este exame permite determinar a presença de diferentes tipos de células quer sejam parasitas, bactérias etc.
  • Biopsia: Se o médico veterinário desconfiar de um processo neoplásico (câncer), por exemplo, pode optar por recolher uma amostra de pele e analisar histopatologicamente.
  • Cultura bacteriana: Este exame permite confirmar o tipo de bactérias presentes no processo. É especialmente útil em processos em que a antibioterapia não está resultando e o veterinário precisa readaptar o tratamento.

Como tratar a piodermite canina?

Em primeiro lugar, é essencial saber a origem da foliculite. Os casos mais habituais são adjacentes a outras doenças e é preciso definir um tratamento para o problema inicial. Para além do tratamento do problema original, que causou a alteração no sistema imunitário do cachorro, o médico veterinário prescreve um tratamento adequado aos sinais clínicos da piodermite em si. Este tratamento pode ser tópico através shampoo, creme, gel ou sistêmico, geralmente através de antibióticos.

Piodermite canina shampoo

A maior parte dos casos de piodermite, requer tanto um tratamento tópico como sistêmico. O shampoo é o tratamento tópico mais comum para este problema. O tratamento tópico ajuda na remoção das crostas e sujidades, alivia a coceira e acima de tudo, previne uma infecção secundária.

Para além do shampoo, existem fármacos em forma de gel, creme, spray, etc. O importante é que utilize o que o seu médico veterinário de confiança recomendar.

Piodermite canina antibiótico

O antibiótico é o tratamento sistêmico mais utilizado na piodermite superficial. O mais comum é que o veterinário receite um antibiótico por um período de 21 dias, podendo prolongar o seu uso durante mais uma semana ou duas após desaparecerem os sintomas.

Relembramos que o período de utilização do antibiótico pode variar de acordo com o tipo de piodermite, daí a grande importância de existir um correto diagnóstico.

A cultura e o antibiograma são essenciais para saber que tipo de bactérias estão presentes e escolher o antibiótico mais adequado. É comum o médico veterinário iniciar uma antibioterapia provisória enquanto aguarda os resultados destas provas.

Piodermite canina - foliculite superficial em cães - Como tratar a piodermite canina?

Piodermite recidivante em cães

Não é incomum que o cachorro continue a apresentar um quadro de piodermite mesmo depois de feito o tratamento recomendado pelo médico veterinário. A causa mais comum para estas recidivas é a permanência do problema original. Ou seja, se o animal tem um hipoadrenocorticismo, por exemplo, e apenas é tratado para a piodermite, é normal que o problema volte a aparecer, porque continua com o sistema imunitário comprometido devido à doença.

Assim, acima de tudo você deve seguir os conselhos e indicações do médico veterinário. É normal que sejam prescritas diferentes provas, para detectar doenças subjacentes que estejam a provocar alterações no sistema imunitário do cachorro ou alguma doença que altere a integridade da pele.

As consultas de reavaliação são essenciais para prevenir recidivas da doença. Para além disso, não podemos deixar de referir o erro mais comum dos tutores: parar o tratamento antes do tempo! Jamais pare o antibiótico antes do tempo prescrito pelo médico veterinário. Mesmo que o seu cachorro já não apresente os sintomas da doença, você não pode parar de dar o antibiótico para ele. Caso você pare o antibiótico antes do tempo recomendado, o mais provável é que o seu cachorro adquira resistência a esse antibiótico e em caso de recidiva será muito mais difícil de tratar a doença.

Este artigo é meramente informativo, no PeritoAnimal.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos veterinários nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Sugerimos-lhe que leve o seu animal de estimação ao veterinário no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se deseja ler mais artigos parecidos a Piodermite canina - foliculite superficial em cães, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Problemas da pele.

Bibliografia
  • IHRKE, P.J. (2006) Integumentary infections In: Infectious diseases of the dog and cat. 3 ed. p. 807- 823.
  • KAHN, C. M.; LINE, SCOTT. (2010) The Merck veterinary manual. NJ, 10ed.
  • MILLER, W H; GRIFFIN, C E; CAMPBELL, K L. (2013) Muller and Kirk’s Small Animal Dermatology. Elsevier, 7ed. p. 184-223.

Escrever comentário sobre Piodermite canina - foliculite superficial em cães

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?
6 comentários
A sua avaliação:
Lourivany de Jesus ramos
Minha cachorrinha ta muito doente com o corpo todo inchado com várias bolhas amareladas pelo corpo todo já fui ao veterinário ele só passou uma pílula só q n adiantou nada ja dei outros remédio mais n resolveu o problema n sei mais o q fazer,por fvor me ajudem.
A sua avaliação:
Marlene da Silva
O meu cachorro é um pinscher, e ele tem 7 anos, e tem uns três meses que apareceu uma escamação estranha nele seguida da queda de pelo! O que pode ser?
Margareth Maria de Souza
Bom dia

Meu BB está assim e estou dando banho e passando clorexdina 2% faz uma semana quarta-feira. Está correto?
Mariana Castanheira (Editor/a de PeritoAnimal)
Oi Margareth! Esse tratamento foi prescrito pelo médico veterinário? Qual foi o diagnóstico?
MARGARETH SOUZA
Bom dia

Não tinha sido, mas depois a veterinária mandou manter e passou cefalexina 500 mg de 12 em 12 por 15 dias vou começar amanhã. Foliculite o diagnostico
Achei super interessante pois desconhecia as causas e muito boa mesmo este post sobre esta doença
Mariana Castanheira (Editor/a de PeritoAnimal)
Fico feliz por saber que o artigo ajudou! Desejo as mais rápidas melhoras do seu patudo!
A sua avaliação:
Evely
Realmente um artigo bem completo e com explicações claras , muito fácil de entender. Respondeu a uma série de dúvidas que eu tinha. Obrigada.
Mariana Castanheira (Editor/a de PeritoAnimal)
Oi Evely! Que bom que você gostou do artigo. Continue nos acompanhando!
Leandra
Muito bom o artigo, completo e esclarecedor. Tirei todas as minhas dúvidas. Obrigada!!?
Nídia do Carmo (Editor/a de PeritoAnimal)
Oi Leandra! Que bom que as dicas do artigo te ajudaram. Continue acompanhando o PeritoAnimal :)
Leandra
Muito bom o artigo, completo e esclarecedor tirei todas as minhas dúvidas.

Piodermite canina - foliculite superficial em cães
1 de 3
Piodermite canina - foliculite superficial em cães

Voltar ao topo da página