Partilhar

Convulsões em cães - Causas e tratamento

Por Nelson Ferreira, Redator do Perito Animal. 13 março 2017
Convulsões em cães - Causas e tratamento

Ver fichas de  Cachorros

Tal como o ser humano, o cachorro pode sofrer convulsões, que são crises de origem nervosa que representam as emergências caninas nervosas mais frequentes. As convulsões associam uma perturbação da atividade motora com alterações da sensibilidade e da consciência. As convulsões nos cães podem ter muitas causas e a cada uma destas corresponde um tratamento e uns determinados cuidados fornecidos pelo veterinário.

Para o dono, ver o seu cão com convulsões pode ser muito estressante ou até traumatizante porque não sabe como reagir, neste artigo do PeritoAnimal vamos explicar-lhe as causas e o tratamento das convulsões no cachorro para que entenda melhor este impactante fenômeno e para que saiba como agir diante das convulsões em cães.

Também lhe pode interessar: Convulsões em gatos - Causas e o que fazer

Causas das convulsões

Muitas causas podem levar a convulsões nos nossos cães:

  • Causas traumáticas: Os traumatismos cranioencefálicos podem causar problemas convulsivos tanto no momento do traumatismo como posteriormente. Por isso se o seu cachorro sofre convulsões, ao acudir ao veterinário deve dizer-lhe se o seu cachorro sofreu algum tipo de traumatismo.

  • Causas tumorais: Os tumores cerebrais podem ser responsáveis por crises convulsivas, especialmente em um cão adulto. Neste caso as convulsões podem vir acompanhadas de transtornos neurológicos como dificuldade para caminhas, alterações do comportamento, da visão, forma de manter a cabeça estranha. A hipótese da causa tumoral deve ser considerada se não se encontra nenhuma outra causa. Descubra algumas terapias alternativas para cachorros com câncer.

  • Causas metabólicas: No cachorro, a hipoglicemia e outras alterações metabólicas são fatores importantes de convulsões. Por isso é provável que o seu veterinário realiza análises sanguíneas para descartar as possíveis alterações metabólicas.

  • Causas infecciosas: Algumas doenças infecciosas podem originar convulsões durante a doença ou como sequelas depois da infecção. A raiva, a pseudoraiva e a cinomose. Assim sendo todas as pessoas que se encontrem diante de um cachorro em convulsão sem conhecer a sua origem ou sem saber se foi vacinado deve agir com muito cuidado.

  • Causas congénitas: As malformações cerebrais são frequentes causas de convulsões em cachorro, a mais destacável é a hidrocefalia. Caracteriza-se por um excesso de volume cefalorraquidiano e pode provocar epilepsia. Esta malformação é mais frequente em determinadas espécies: Poddle anão, Chihuahua, Yorkshire e manifesta-se ao nascer por um crânio abobadado. Outra malformação muito destacada que pode causar crises convulsivas é a lisencefalia, que afeta especialmente os cães da raça Lhasa Apso.

  • Causa tóxica: Uma intoxicação com algum fármaco ou com um produto de uso humano nocivo para o seu cão pode causar convulsões. Se depois de realizar um um exame clínico, e as provas necessárias, o veterinário não conseguir averiguar a causa das convulsões, consideram-se as convulsões sem causa aparente, ou seja, são idiopáticas. Descubra algumas das plantas venenosas para cachorros e revise o seu jardim para se certificar que não é esta a causa.
Convulsões em cães - Causas e tratamento - Causas das convulsões

Como agir diante de uma crise de convulsões

  1. Para começar o mais importante é manter a calma, depois temos que comprovar que o que rodeia o cão não o pode magoar enquanto está tendo as convulsões. Por exemplo, certifique-se que nenhum objeto pode cari sobre o seu cachorro, ou se estiver em um sofá ou cama desloque-o com cuidado e coloque-o no chão em cima de uma manta macia.
  2. Deve ligar com urgência o seu veterinário dado que as crises graves e longas podem ser mortais.
  3. As crianças e os demais animais devem ser levados para outro cômodo.
  4. Observe se o seu cachorro para poder dizer ao seu veterinário se a crise dura mais de 3 minutos ou se as crises continuam acontecendo.
  5. Depois de ligar para o veterinário, fique ao lado do seu cachorro para o reconfortar assim que a crise acabar. Envolva o seu cachorro com almofadas, sem o deslocar, para que não se magoe ao bater com a cabeça no chão. Certifique-se que o cachorro não tem a cabeça para trás e puxe a língua para fora da sua boca.
  6. Não tente fazer com que pare, não consegue ouvir você ou entendê-lo nesse momento. Evite as estimulações sonoras ou luminosas que são um estresse a mais que podem favorecer um prolongamento das convulsões. Baixe a intensidade da luz no quarto o máximo que conseguir e não grite.
  7. Em seguida terá que ir ao veterinário ou ele terá que vir até à sua casa para ajudar o seu cachorro.
Convulsões em cães - Causas e tratamento - Como agir diante de uma crise de convulsões

O tratamento das convulsões

O veterinário deve instaurar um tratamento de acordo com a causa que determinará o seu diagnóstico. Deve saber que, à excepção das convulsões pontuais por intoxicação por exemplo, em um cachorro epilético, é impossível reduzir as convulsões a zero. O veterinário irá determinar uma frequência de convulsões aceitável no caso do seu cachorro, que será o objetivo do tratamento.

Mas se começar o tratamento anti-epilético, jamais se deve parar o surto porque isso poderá produzir outro efeito grave e provocar ainda mais crises convulsivas. Além disso, no caso dos fármacos anti-epiléticos, não se pode esquecer de dar ao cachorro nenhuma dose, nem atrasar-se e dar-lhe uma hora mais tarde. Deve ser muito preciso e pontual na hora de dar a medicação ao seu cachorro neste tipo de problemas.

As convulsões são um problema sério no cão e as crises costumam ser impactantes para o dono, mas pode ajudar o seu cachorro seguindo os conselhos do seu veterinário e adequando o tratamento e os cuidados que dará ao seu cachorro consoante a causa das suas convulsões. No PeritoAnimal queremos motivar você a descobrir a vida junto a um cachorro com epilepsia e a vê-lo de forma positiva e saudável para um cachorro saudável e feliz.

Convulsões em cães - Causas e tratamento - O tratamento das convulsões

Este artigo é meramente informativo, no PeritoAnimal.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos veterinários nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Sugerimos-lhe que leve o seu animal de estimação ao veterinário no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se deseja ler mais artigos parecidos a Convulsões em cães - Causas e tratamento, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Outros problemas de saúde.

Escrever comentário sobre Convulsões em cães - Causas e tratamento

Adicione uma imagen
Clique para adicionar uma foto relacionada com o comentário
O que lhe pareceu o artigo?
32 comentários
geovana
Bom dia! meu golden morreu ontem, apos ter tido varias crises de convunsão, cinco dias em observação em uma clinica veterinaria, estou me sentindo culpada, por não ter levado ele embora pra casa, acho que teria cido melhor pra ele, a recuperação estava indo bem , so não movimentava o corpo, o veterinario alegou que precisou da uma anestesia geral pq ja tinha dado varias medicações e ele continuava convulcionando, por fim perdi meu freed, não sei se foi por negligencia do veterinario ,Tipo muita medicação ou por culpa minha por não te levado ele embora e ter cuidado dele em casa.

alguem pode me ajuda tira esse peso na conciencia :(:(
danilo marcos oliveira de freitas
boa tarde meu cão tem tido convuçoes ,já levei no veterinário receitou gardenal , pois agor tem dado direto , hoje mesmo ele esta desde de cedo dando convuçoes o que devo fazer , desse já obrigado
Luísa Savala (Editor/a de PeritoAnimal)
Oi Danilo! Recomendamos que você volte no veterinário e explique que a situação está se repetindo frequentemente.
A equipe do PeritoAnimal deseja rápidas melhoras!
A sua avaliação:
Ruth
Eu resgatei da rua um vira lata, ele já estava adoentado, não comia, era apático, praticamente só dormia, não latia. Imaginei que poderia está com a doença do carrapato, mas fui negligente em medicar ele (moro em cidade pequena e aqui não tem veterinário). No exato dia que os remédios dele chegaram ele morreu. Na noite antes dele morrer eu dei cafe pra ele , no despero pq ele nao comia absolutamente nada .Na manhã seguinte ele teve convulsão e morreu, será que o cafe que eu dei pode ser a causa da morte ? ou o mais provavél é a questão do carrapato.
Joaocarlos
Tenho um pincher de 2anos e meio ele pesa 5kg ele esta tendo convulsoes levei ao veterinario e ele receitou fernobetal 0,25ml ele nao come e nem bebe agua sozinho esta bem franco.gostaria de saber se esta dosagem esta forte pra ele ou nao?ah ele ainda tem umas crises de vez em quando.alguem pode me ajudar?
Dr.Aluísio B. BARROS
Tenho um cão, com pouco mais de 14 anos, que está apresentando, pela segunda vez, um quadro de instabilidade comportamental, fica correndo pela casa, como se sentisse, de repente uma dor, e escorregando e caindo, impaciente e agitado Isso demora poucos minutos ,[talvez uns 2. minutos.] Depois, vai se acalmando, mas apresenta um pouco de cansaço. Adianto que procuro acalmá-lo e ele, como é muito dócil, em nenhum momento, fica agressivo. Suspeito de alguma patologia nervosa. Ele já passou por uma cirurgia de rim e, também, apresenta um pouco de catarata, mas não o impede de ver, embora algumas vezes bata em obstáculos. Tem assistência veterinária e, e recentemente, submeteu-se a uma Tomografia, resultando em "sinais sugestivos de ventrIculomegalia e presença de maior visualização de sulcos e giros cerebrais [achados comumente associados a atrofia de perênquima", mas não há sinais de processo neoplásico e de meningite" O QUE O Perito Animal PODE SUGERIR?
Luísa Savala (Editor/a de PeritoAnimal)
Oi Dr. Aluísio! Sem ver o seu cachorro não conseguimos passar nenhum diagnóstico, no entanto, recomendamos que você busque ajuda de um médico veterinário de confiança o quanto antes.
A equipe do PeritoAnimal deseja rápidas melhoras!
Luciana
Meu cão foi diagnosticado com convulsão faz uns dois anos, ele toma fenobarbital de 100 mg duas vezes ao dia. No início fiz vários exames de sangue, e alguns outros exames solicitados pela veterinária. Mesmo com esta dose bem alta de medicamentos ele vem apresentando crises em media , uma vez por semana. As crises são principalmente a noite, muito fortes e ate mais de uma vez. Tenho que segurar a cabeça dele durante as crises, pois já esta com os dentes da frente quebrados de tanto se bater no chão. Alguém conhece ou já conheceu algum animal igual ao meu, que mesmo tomando uma dose tão alta de medicação tem crises tão fortes? Ah meu cão tem sangue de pastor alemão, ele não é puro.
Maria de Lourdes Batista
dizem q o oleo de canabis eh mt bom
Giselly Meneses
Fale com o seu médico a possibilidade de associar o fenobarbital com o EPI Control. Ele é um medicamento homeopático de uso veterinário. Deu muito certo essa associação com o meu animal. Praticamente as convulsões pararam e a melhora foi rápida. Não curou, mas a qualidade de vida melhorou muito.
A sua avaliação:
Não sou veterinária, mas pela experiência que tenho com meu pet portador de convulsões, se ele teve uma crise isolada deveria avaliar sim a tomada do medicamento. Ele se faz necessário qd o animal sofre de crises mais próximas uma da outra. E sendo assim , toma-se pela vida toda do animal.
jerri martinelli
ola amigos. gostaria de saber se meu cachorro precisa continuar tomando fenobarbital não apareceu alteração nos exames de sangue e ele nunca tive histórico de comvulção nem nada parecido fora o episodio ocorrido. sem pre foi em cão saudável com vacinas em dia. por favor se vocês puderem me ajudar te agradeço pois ele e tudo o que temos obrigado
Luísa Savala (Editor/a de PeritoAnimal)
Oi Jerri! Sem ver o seu cachorro não conseguimos dar nenhum diagnóstico. No entanto, recomendamos que você siga as indicações veterinárias.
A equipe do PeritoAnimal deseja rápidas melhoras!
Rosa Maria
Qual o tratamento para a convulsão
Luísa Savala (Editor/a de PeritoAnimal)
Oi Rosa! O tratamento para convulsão em cães depende da causa, por isso, é importante buscar ajuda de um médico veterinário para que ele faça o diagnóstico e passe o tratamento mais indicado de acordo com o quadro do cachorro.
Wesley
Oi!
Meu cachorro tem 15 anos, e tem um tumor externo perto do pescoço, mas que até então (Mais de 10 meses), não gerou nada demais, mas passamos unguento na ferida como o veterinário receitou.
Enfim, hoje ele perdeu as forças e caiu esticando no chão ao mesmo tempo que vomitava, parecia convulsão pois o corpo ficou rígido, porém depois relaxou, ele ficou bem mole.
Pouco depois aconteceu de novo, outro desses com vômito, mas logo passou e ele tá dormindo agora tranquilo.
Esses casos que envolve vômito (Sem rastros de sangue), poderia ser algum problema estomacal isolado? Como ele ter lambido o unguento que parece ser meio tóxico?
Luísa Savala (Editor/a de PeritoAnimal)
Oi Wesley! Sem ver o seu cachorro não conseguimos dar nenhum diagnóstico, no entanto, ele precisa vistar um médico veterinário o quanto antes.
A equipe do PeritoAnimal deseja rápidas melhoras!

Convulsões em cães - Causas e tratamento
1 de 4
Convulsões em cães - Causas e tratamento

Voltar ao topo da página