Como cuidar de um gato idoso

Como cuidar de um gato idoso

O gato que conhecíamos como um filhote envelheceu, e agora é nossa responsabilidade cuidar dele para que o nosso gato idoso continue desfrutando de uma boa qualidade de vida apesar do passar do tempo.

Deve saber que um gato é considerado idoso a partir dos 8 anos, mas não se preocupe, ainda lhe faltam muitos anos de vida, pode viver até aos 18 ou inclusivamente 20. Se tratar bem do seu gato aumenta muito as probabilidades de que ele envelheça com saúde.

Neste artigo do PeritoAnimal vamos explicar-lhe truques e conselhos úteis para que saiba como cuidar de um gato idoso, continue lendo.

Uma atividade física regular

Se o seu gato tem mais de 8 anos de idade é muito importante que continue ativo, embora seja normal que com a idade goste de dormir cada vez mais.

Brincar com o seu gato 15 minutos diários é uma excelente opção para o manter ativo, para o estimular física e mentalmente. O exercício físico ativa a circulação sanguínea do seu gato, reforça as suas articulações e preserva os seus músculos.

Não se exercitar nunca pode derivar em um problema grave de obesidade, algo que reduz a sua esperança de vida. Se estes é o seu caso, o PeritoAnimal mostra-lhe alguns exercícios para gatos obesos.

Dar-lhe tranquilidade

Embora se exercitá-lo um pouco seja muito importante a verdade é que a tranquilidade também é muito importante. Devemos deixar o gato descansar quando está dormindo e não o incomodar.

Se vir que lhe custa subir as escadas deve ajudá-lo e pegá-lo ao colo, colocar umas almofadas perto dos radiadores de calor para que possa tirar um cochilo ai. Tudo o que pudermos fazer para tornar a vida do gato idoso mais simples e fácil é bom.

Vigiar o seu estado de saúde

Quando o nosso gato envelhece devemos ser mais cuidadosos com a sua saúde e controlar a mesma com visitas ao veterinário a cada 6 meses. Entre as consultas, somo nós que temos de o observar, sentir como está e perceber se têm algum problema.

Deve avisar o veterinário sobre qualquer alteração de comportamento como a falta de apetite, o aumento de saúde, uma agressividade anormal ou se o nosso gato parece deprimido.

A depressão ou a prostração podem ser sinais de doença e devemos ter isso em conta. A falta de apetite e a sede excessiva podem ser sinais de vários transtornos: problemas renais, hepáticos, gastrites. Estes problemas são mais frequentes quando o gato envelhece, por isso é recomendável fazer exames sanguíneos com regularidade a partir dos 8-10 anos. Conseguir fazer um diagnóstico precoce é a chave para um tratamento com sucesso nos problemas do gato idoso.

Cuidar da sua boca

A falta de apetite pode dever-se à formação de placa dentária que causa uma gengivite dolorosa ao gato e o impede de mastigar a sua ração. As doenças de dentes são frequentes nos gatos velhos e costumam vir acompanhadas de mau hálito.

Descubra também no PeritoAnimal dicas para tirar o tártaro nos gatos. No entanto, em casos graves o seu gato idoso pode necessitar de uma intervenção do veterinário, e para tal serão precisas análises sanguíneas uma vez que requer anestesia geral, algo que é incompatível com níveis elevados de ureia ou creatinina.

Uma alimentação apropriada para a sua idade

As rações industriais são mais equilibradas que uma alimentação caseira e dão ao nosso gato a taurina necessária para o bom funcionamento dos seus órgãos. As rações secas permitem esfregar os dentes e limitar a formação de placa dentária.

Escolher uma ração de uma gama adequada para os gatos idosos é muito importante para manter a sua saúde equilibrada. Para um gato idoso que possa sofrer de insuficiências renais, devemos evitar as rações bovinas e preferir as de frango.

É importante também que o nosso gato tenha sempre água fresca à sua disposição e devemos mudá-la com regularidade para que ele a beba e se mantenha hidratado. Se verificar que não bebe, pode dar-lhe de vez em quando comida úmida, uma vez que contém uma elevada porcentagem de água.

Cuidar e dar mimos

Devemos escovar com regularidade o pelo para remover o pelo morto que possa ingerir ao se limpar. Durante este ritual podemos aproveitar para controlar o estado da sua pele, do seu pelo e também partilhar com ele um bom momento. Aconselha-se também limpar os olhos e as orelhas com regularidade, com um papel suave milhado em água ou uma gaze estéril.

Com a idade o gato idoso é menos ativo e as suas unhas gastam-se menos e tornam-se mais frágeis. A solução é cortar as unhas, aproveitando para comprovar que as almofadas do nosso gato estão em boas condições.

A tudo isto temos que acrescentar os mimos e os carinhos: dar atenção e carinho ao nosso gato é muito bom para ele. Os gatos adoram carinhos e serem mimados, e com isso torna o seu envelhecimento mais feliz!

Se deseja ler mais artigos parecidos a Como cuidar de um gato idoso, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de Geriatria.