5 conselhos para a convivência entre cães e gatos

5 conselhos para a convivência entre cães e gatos

É possível que os cães e gatos vivam em harmonia apesar de se tratarem de espécies diferentes de natureza muito diferente. Uma relação pacífica entre os animais da casa é muito importante, uma vez que lhe permite desfrutar dos seus animais sem nenhuma preocupação.

Descubra neste artigo do PeritoAnimal estes 5 conselhos para a convivência entre cães e gatos para começar a desfrutar de uma convivência harmoniosa no seu lar.

Respeite a organização de cada espécie

Os cães organizam a sua sociedade em matilha através de uma hierarquia onde apenas existe um animal dominante. Por outro lado, os gatos são animais solitários que simplesmente defendem o seu território. Esta diferença pode fazer despoletar alguns conflitos.

Disto podemos deduzir que devemos respeitar a hierarquia do cão, em que ele vai ser o animal dominante em relação ao gato mas também devemos respeitar e facilitar a territorialidade do gato, dando-lhe um espaço próprio que não possa ser invadido pelo cão.

Apresentar os animais

Não importa se o novo animal é o gato ou o cachorro, o animal que já reside em nossa casa deve conhecê-lo, e tem preferência sobre o novo "inquilino".

É um momento muito importante, e deve tentar evitar a sobre-excitação para que ambos estejam tranquilos. Por esse motivo recomendamos-lhe que o residente de sua casa antes de conhecer o novo animal tenha comido, bebido e esteja cansado depois de um passeio ou uma sessão de brincadeira. Desse modo estamos a reduzir o instinto de caça.

O que devemos fazer para apresentar ambos os animais?

  1. Não pegue o gato nos braços, pode arranhar, além disso recomendamos que lhe corte as unhas para não possa ferir o cão caso o encontro corra menos bem.
  2. Amarre ambos os animais com uma correia, desta forma evitamos que tanto um como o outro se possam ferir.
  3. Aproxime-os pouco a pouco sem forçar a sua união. respeite os seus olhares, deixe que se cheirem e observe os seus comportamentos.
  4. Se o comportamento for correto e ambos os animais estiverem tranquilo deixe que interajam e vá premiando ambos com guloseimas para animais.
  5. Se pelo contrário o comportamento é agressivo, ou seja, caso o cão queira perseguir o gato ou o gato tente arranhar o cão deve dizer Não com firmeza. Separe ambos os animais em quartos diferentes sem remover a correia de nenhum deles e repita o processo até conseguir que ambos os animais estejam no mesmo quarto de forma relaxada.

Como consigo que ambos os pets relaxem?

Se o encontro foi muito negativo e ambos os animais estão inquietos e nervosos pela presença um do outro deverá trabalhar com ambos. Peça ajuda a um familiar ou amigo neste processo de conciliação.

Escolha um quarto ou divisão da casa amplo e espaçoso se possível e aproxime as camas de ambos os animais, gato e cão. Deixe as portas abertas para que não sintam ansiedade de estarem fechados e com a ajuda de outra pessoa relaxe ambos os animais. Alguns truques são fazer exercício com o cão enquanto o seu familiar brinca com o gato, por exemplo.

Trabalhe casa um dos animais de estimação e procure distrai-los e fazer com que se sintam confortáveis, pode colocar uma música suave para dar ambiente enquanto os acaricia. Volte a experimentar aproximá-los em várias ocasiões até que o comportamento seja de desprezo ou de respeito. Se este comportamento não for possível, durante um tempo deve manter o cão e o gato em divisões diferentes realizando este trabalho no mesmo espaço para que se acostumem à presença um do outro, ao cheiro, etc. Se o trabalho for muito complicado para si ou os resultados são muito maus recorra a um profissional.

Iniciar a convivência desde a primeira etapa

A convivência entre cão e gato não tem que ser necessariamente má, muito pelo contrário. Motive os seus dois animais de estimação para aprenderem truques e ordens, assim como também os deve premiar sempre que façam corretamente alguma coisa.

Deve cuidar da educação com reforço positivo desde o primeiro dia de convivência, lembre que o home e os processo de domesticação tornaram possível que estes dois animais, que na natureza podem ser agressivos, vivam em paz e harmonia. Trabalhe a domesticação em conjunto com a educação dos dois. Faça da sua casa um lar feliz para ambos.

Dê-lhes comida em zonas separadas

Não podemos esquecer que tanto os cães como os gatos são animais predadores, isto indica que é muito fácil que se inicie uma disputa pela comida que pode acabar com uma mordida ou um arranhão, para evitar algum incidente é necessário que cada animal coma em um espaço diferente e separado do outro animal. Com o tempo e se ganharem amizade não irá precisar de os separar.

Também não deve permitir que um coma a comida do outro, faça com que se respeitem mutuamente, havendo comida pelo meio ou não, pelos menos na sua presença devem se respeitar um ao outro.

Brinquedos para todos

Embora lhe possa pareça um conselho óbvio é importante reforçar este pondo, uma vez que este conselho é mais útil do que possa pensar. Os ciúmes e o desejo de ter um brinquedo podem piorar muito uma relação entre cão e gato.

O cão tem uma natureza social e os gatos tendem a ter um instinto predador mais ativo. Estes comportamentos tão diferentes podem ser amenizados através do uso de brinquedos que canalizam o instinto de caça nos gatos evitando assim as condutas predadoras, exteriorizará a sua natureza de forma inofensiva.

Por outro lado, o cão encontrará no brinquedo um objeto que lhe pertence, algo que fará com que o cão se sinta seguro e no seu lar.

Dê vários brinquedos a cada um deles de várias cores, formas e alguns podem até emitir ruído. Tanto o cão como o gato vão agradecer e além disso está a proporcionar-lhes uma distração para quando você não está presente.

Se deseja ler mais artigos parecidos a 5 conselhos para a convivência entre cães e gatos, recomendamos-lhe que entre na nossa seção de O que precisa saber.